BLOG
RECEBA CONTEÚDOS GERADOS POR ESPECIALISTAS ASSINE AGORA

Como definir uma estratégia de cloud eficiente?

Hoje em dia, é difícil pensar em uma empresa, ou mesmo em um usuário, que não utilize computação em nuvem. A flexibilidade, portabilidade, escalabilidade e economia trazidas por esse modelo são vantagens inegáveis. Mas, se a sua organização ainda não migrou seus serviços para a cloud, você deve estar se perguntando: por onde começar?

A resposta não poderia ser mais simples: deve-se começar por onde se começa todo projeto de TI — por uma robusta arquitetura de soluções. É a partir dela que será definido o que deve migrar para a nuvem e de que forma. Quer saber mais sobre como funciona a arquitetura de cloud e dicas para definir sua estratégia de migração? Então este artigo é para você.

Arquitetura na computação em nuvem

Migrar sua estrutura de TI para a nuvem é um trabalho complexo e, como todo projeto da área, deve ser embasado em uma arquitetura projetada com cuidado e que atenda às necessidades da empresa. Quando falamos em arquitetura da computação em nuvem, é preciso levar em consideração três pilares fundamentais:

SaaS (Software como Serviço)

Software como Serviço (Software as a Service em inglês) nada mais é do que o uso de softwares por meio de um site web. As empresas proprietárias dos softwares disponibilizam o serviço e os usuários podem acessar a qualquer hora e de qualquer lugar. Além da praticidade para os colaboradores da sua empresa, que passam a ter maior flexibilidade e mobilidade, essa ferramenta traz vantagens para a área de TI, que não precisa mais se preocupar com atualizar o software, providenciar licenças e fazer a manutenção de maneira geral.

O principal ponto de atenção a ser observado antes de migrar para a nuvem os programas que você utiliza é verificar as possibilidades de customização e adaptação do software às necessidades da sua empresa.

PaaS (Plataforma como Serviço)

Se você já pesquisou bastante no mercado e as opções de software em nuvem que você conheceu não atendem às suas necessidades, a solução pode ser usar a Plataforma como Serviço (Platform as a Service em inglês). Essa é uma alternativa para empresas que querem desenvolver seus próprios softwares na nuvem, para então disponibilizá-los aos funcionários como SaaS.

IaaS (Infraestrutura como Serviço)

A Infraestrutura como Serviço (Infrastructure as a Service em inglês) é o modelo mais tradicional de computação em nuvem e também o que possibilita todos os demais serviços. Em suma, consiste na hospedagem de armazenamento de dados, rede, sistemas operacionais, centros de processamento de dados, hardware etc. Nesse tipo de serviço, o cliente paga de acordo com o que é efetivamente utilizado, gerando flexibilidade e economia para a empresa.

O que considerar na sua estratégia de migração

Compreendidos os pilares que fazem parte de uma arquitetura bem estruturada para a sua migração para a nuvem, é hora de pensar na estratégia. Você sabe o que deve ter em mente na hora de definir o passo a passo da migração? Veja abaixo algumas dicas:

Mapeie sua estrutura de TI

Avalie a necessidade da sua empresa: faça um mapeamento completo dos seus dados e sistemas e verifique a compatibilidade dos softwares utilizados com os disponíveis na cloud. Isso ajudará a garantir uma transição tranquila e evitará dores de cabeça.

Pense na segurança

Segurança dos dados é uma das principais preocupações na hora de pensar na migração para a nuvem. Nesse sentido, limitações de acesso por departamento ou por colaborador ajudam a assegurar que informações estratégicas não vão cair nas mãos erradas. Não deixe de envolver sua equipe de Segurança da Informação no planejamento da migração.

Por que considerar a migração para a nuvem

Mas, afinal, por que você deve considerar a migração da sua estrutura e serviços de TI para a nuvem? Veja algumas vantagens desse modelo:

  • Economia: migrar os seus dados e serviços para a cloud baixará significativamente os custos com hardware, software e manutenção, entre outros;
  • Capacidade: uma boa estratégia de computação em nuvem aumenta a disponibilidade das aplicações e diminui o tempo que a equipe de TI passa prestando serviços, permitindo que a área se concentre em áreas mais estratégicas;
  • Flexibilidade: a cloud computing permite que os usuários acessem dados e softwares 24 horas por dia, 7 dias por semana, de onde estiverem. Isso confere maior flexibilidade ao negócio.

Agora que você já sabe sobre a importância da definição de uma estratégia de arquitetura em nuvem, que tal descobrir como podemos ajudá-lo nessa implementação? Conheça as soluções do Grupo Mult!

Multron
RECEBA CONTEÚDOS GERADOS POR ESPECIALISTAS