+55 31 3194 0400

As APIs são cada vez mais usadas em todos os tipos de desenvolvimento e são especialmente relevantes para quem trabalha com microsserviços. Mas será que a sua empresa sabe como fazer a gestão delas?

Por sua capacidade de escalar microsserviços, fomentar a inovação, lidar com diferentes linguagens de programação, e a flexibilidade de rodar em diversas plataformas, as APIs são indispensáveis em praticamente qualquer time de desenvolvimento.

Apesar das claras vantagens e da real necessidade de contar com APIs, o uso delas também traz um desafio: como gerenciar tantas APIs e acompanhar as inúmeras aplicações utilizadas no universo de microsserviços? Entenda mais sobre o assunto!

A necessidade de gerenciar APIs

Uma API serve para conectar serviços, sistemas ou aplicativos e são uma importante forma de relacionamento entre fornecedores e clientes. Uma API deve estar preparada para atender ao cliente em qualquer ambiente que ele estiver.

Se ela falha, todas as vantagens da API vão por água abaixo. E é justamente para evitar isso que a gestão de APIs é necessária. Fazer a gestão delas significa monitorar seu ciclo de vida, observar relatórios de desempenho para encontrar e corrigir falhas, certificar que as APIs estão seguras, e muito mais.

Gerenciar manualmente as inúmeras APIs que integram microsserviços é praticamente impossível. Ao fazer a gestão das APIs você poderá facilmente responder a perguntas sobre o uso, os problemas e os pontos positivos das suas APIs.

Principais estratégias para gerenciar APIs

A sua estratégia de gestão de APIs deve responder a perguntas como quem são os usuários e quais são os recursos em termos de segurança da informação.

A gestão de APIs também se preocupa com o ciclo de vida dela que compreende desde o projeto da API até seu processo de otimização durante o uso, passando pela implementação. Veja alguns itens que fazem parte das estratégias para gerenciar APIs:

  • Gateway de APIs — é a parte que permite expor e utilizar APIs e cuida de itens como autenticação, transformação e orquestração das diversas APIs;
  • Segurança — para proteger as APIs é preciso ir além dos firewalls convencionais e a sua estratégia de gestão também deve contemplar as formas de proteção de cada API;
  • Monitoramento — relacionado a itens como SLAs, disponibilidade, causa dos incidentes, etc.;
  • Ciclo de vida — para controle desde o projeto até o fim do uso da API, envolvendo o controle das versões;
  • Analytics — é importante gerar relatórios para facilitar a análise dos itens que estão sendo monitorados e encontrar estatísticas, correlações, gargalos e outros pontos importantes do ponto de vista estratégico.

Além desses itens, você também precisa de uma equipe multidisciplinar que entende de gestão e integração de dados. Entre os profissionais, o arquiteto corporativo é um dos mais importantes.

O papel do arquiteto corporativo

O arquiteto de dados corporativo é alguém que entende as APIs como uma ferramenta essencial das empresas que estão evoluindo junto com a revolução digital.

Quando uma empresa migra, por exemplo, da arquitetura monolítica para os microsserviços, os profissionais que atuam no desenvolvimento tradicional podem ver muitos desafios nessa transição.

Já o arquiteto corporativo tem a integração de dados no seu DNA. O papel dele é, por exemplo, gerir os recursos de informação, padronizar dados e interface e documentar as APIs. Dessa forma, um arquiteto de dados corporativo contribui diretamente para deixar de APIs mais simples.

As ferramentas de gestão de APIs

Existem no mercado diversas ferramentas que podem ser executadas na nuvem, on-premises ou de forma híbrida. Também é possível escolher entre ferramentas comerciais e ferramentas open source. Com o apoio de uma equipe especialista em integração de dados e APIs, é possível encontrar a que mais se adequa ao seu negócio.

Como vimos, a gestão de APIs se preocupa em monitorar a criação, o uso e o rendimento delas. Contar com um arquiteto de dados e uma ferramenta de gestão de APIs vai tornar essa tarefa mais fácil.

Gostou de saber mais sobre a gestão de APIs e quer continuar aprendendo mais sobre APIs e microsserviços? Baixe agora mesmo um e-book gratuito e entenda como resolver seus problemas de integração com microsserviços.

Share This