BLOG
RECEBA CONTEÚDOS GERADOS POR ESPECIALISTAS ASSINE AGORA

    O futuro de EAI microsserviços

    Inicialmente, o EAI microsserviços pode representar um desafio para as organizações devido ao grande volume de dados e à variedade das suas fontes.

    As aplicações web contribuem para aumentar ainda mais a complexidade da integração corporativa, principalmente quando é preciso integrar aplicações legadas à componentes com arquitetura baseada em serviços, como por exemplo, os microsserviços.

    O que são microsserviços? 

    Antes de falarmos sobre EAI microsserviços, vamos explicar sobre a abordagem dos microsserviços.

    Embora não haja um conceito estabelecido sobre a arquitetura de microsserviços, podemos destacar algumas características comuns a esse estilo.

    • Componentização via serviços – A aplicação é dividida em serviços independentes e autônomos. Desse modo, não dependem de outros componentes para funcionar.
    • Organização em torno das capacidades de negócios – Significa que todos os microsserviços devem se concentrar em um único escopo de capacidades de negócio, respeitando as regras de negócio comuns entre áreas afins.
    • Foco em produtos e não em projetos – Com os microsserviços, a ideia de alocar uma equipe em projetos é desconstruída e o foco volta-se para o desenvolvimento de produtos para atender demandas de negócios.
    • Governança descentralizada e gerenciamento de dados – A descentralização da governança e gerenciamento de dados vem como uma forte estratégia na metodologia de microsserviços e faz um contraponto ao EAI, já que suas estratégias de governança e gerenciamento de dados são centralizadas via ferramentas middleware que funcionam como um hub central.
    • Infraestrutura automatizada – Os microsserviços oferecem ferramentas que proporcionam testes automatizados, deploys automáticos, infraestruturas baseadas em containers, controle de versão, entre outros.
    • Design com grande capacidade evolutiva – O design de um microsserviço pode sempre evoluir, devido à independência do sistema. Consequentemente, permite atender a uma demanda da melhor maneira possível e com a tecnologia mais adequada.

    O que é o EAI microsserviços? 

    EAI microsserviços (Enterprise Application Integration) é um processo de integração de vários aplicativos de software que foram desenvolvidos de forma independente, que utiliza uma tecnologia incompatível e continua sendo gerenciado de forma independente. 

    Trata-se de estratégias para resolver problemas de integração recorrente, por isso, não podem ser considerados como parte de um ESB. As estratégias de EAI podem fazer parte de qualquer estratégia de integração, desde que forneça uma solução eficiente e efetiva. 

    Em síntese, o EAI microsserviços diz respeito sobre compartilhamento e troca de dados e processos de negócios entre os diferentes aplicativos e origens de dados na empresa. E por que isso é tão importante? 

    Porque gera vantagem competitiva para a organização. Muitas empresas utilizam vários tipos e gerações diferentes de sistemas desenvolvidos ao longo dos anos.

    Esses sistemas têm valor nas empresas, mas o seu valor agregado pode diminuir se eles não puderem “conversar” com outros sistemas.  

    Além disso, o EAI microsserviços pode trazer economia para as empresas, já que permite o compartilhamento de dados e processos por meio do acoplamento de sistemas, sem que haja grandes mudanças nas aplicações ou nas estruturas de dados. 

    Leia também Como gerenciar e integrar dados em microsserviços? 

    O futuro de EAI microsserviços

    Ou seja, será necessário usar o ESB juntamente com as táticas de EAI microsserviços. E é importante que elas sejam guiadas a serviços e não mais ao ESB.

    Também é possível usar o ESB para serviços de gateway para segurança, políticas de execução e exposição de micro serviços como APIs abertas. Desse modo, o serviço de gateway vai poupar horas de programação na construção de algo que gerencie a integração dos serviços de aplicação e recursos na nuvem por exemplo.

    Em termos de comunicação, haverá um ganho significativo na eficiência, já que o EAI microsserviços e o ESB se tornarão um servidor, onde serão recebidos em tempo real, muitos eventos de diferentes fontes para reagir de forma proativa.

    Assim, o ESB deixa de ser o hub central para comunicação entre os serviços e passa a ser um nó na composição de serviços que fornece auxílio em tempo real para os outros serviços.

    Portanto, o EAI microsserviços, como vimos, não morrerá. E é perfeitamente possível que as estratégias de EAI implementadas via um middleware ESB trabalhem em conjunto com estratégias arquiteturais de microsserviços.

    É importante ainda relembrar que o EAI microsserviços é fundamental para o futuro das corporações, pois, permite a implementação de um plano estratégico de integração de aplicações que é crítico para as empresas atualmente.

    Aquelas que não integrarem suas aplicações não se tornarão empresas competitivas.

    Gostou do artigo? Esperamos que ele te ajude no processo de integração da sua empresa. Caso ainda tenha restado alguma dúvida, fale com a gente.

    Leia também Orquestração vs. Coreografia de serviços

     

    Multron
    RECEBA CONTEÚDOS GERADOS POR ESPECIALISTAS