+55 31 3194 0400

Os avanços da Indústria 4.0 e da Transformação Digital têm exigido que as empresas tornem seus processos mais ágeis, resultando em entregas com prazos mais curtos e escaláveis. Diversas organizações estão encontrando na Automação de Processos Robóticos (RPA) a solução para garantir a eficiência que precisam. Dados da consultoria Forrester Technology Council revelam que o mercado de RPA deve movimentar US$ 2,9 bilhões até 2021. Apesar disso, muitos gestores ainda não conhecem ou estão familiarizados com a solução.

Neste artigo, apresentamos os principais aspectos da RPA. Confira!

O que é RPA?

A Automação de Processos Robóticos (RPA) é uma ferramenta desenvolvida para automatizar processos rotineiros, ou seja, um robô ou software executa operações repetitivas que antes eram realizadas por seres humanos.

Com isso, o robô pode ser utilizado em determinadas tarefas de forma mais rápida, eficiente e até aumentar o volume da produção.

As atividades repetitivas, operacionais e que, frequentemente, são reportadas com erros, passam a ser executadas pela configuração do sistema. Enquanto isso, os colaboradores, tirados daquela função, podem ser realocados em outras atividades.

Os benefícios do RPA para a empresa

Por meio de tecnologias específicas, a RPA executa padrões de ações. Podemos citar como exemplo rotinas de conferência, onde o colaborador precisa verificar todos os códigos de barras dos produtos no sistema. A RPA é configurada para repetir essa ação quantas vezes forem necessárias, podendo ser duplicadas, triplicadas.

Além de executar o maior número de ações no menor tempo, a RPA oferece outros benefícios para a empresa:

Economia

A empresa que depende de três colaboradores humanos para executar uma tarefa terá uma economia considerável ao utilizar uma RPA. A automação pode reduzir os custos da empresa de 25% a 50%.

Eficiência

A RPA aumenta a produção e a precisão com que as atividades são realizadas. A principal diferença de um robô para um ser humano é que o software é capaz de trabalhar de forma ininterrupta, ou seja 24 horas por dia, durante os sete dias da semana. Sem gerar custos com horas ou benefícios extras.

Além disso, uma vez programados para executar uma tarefa, ela será realizada de forma segura e correta. Eliminando os riscos de erros, falhas, esquecimento e perda de material.

Análise

A RPA coleta dados de maneira mais específica. Essas informações podem ser usadas no futuro para que a empresa aplique melhorias em seus processos ou transações. Em outras palavras, dados estruturados nos processos resultam em mais eficiência, diminuição de erros operacionais.

Como impacto direto, a empresa economiza recursos e pode investir em novas soluções ou processos. Além disso, tem um ganho de qualidade ao realocar os colaboradores dispensados das atividades repetitivas para áreas de maior valor, que exigem pensamento estratégico e crítico.

Como preparar a empresa para a chegada da RPA

Empresas que estão passando pela Transformação Digital, ou se depararam com a necessidade de investir em processos da Indústria 4.0, encontraram na RPA uma solução econômica e viável para começar a mudança. Porém, ainda existem muitas dúvidas quanto à implementação de recursos de automação.

Antes de investir em RPA, a empresa deve elencar quais são as suas necessidades, ou seja, identificar quais processos seriam beneficiados com essa solução, quais são os departamentos mais críticos que passariam primeiro pela mudança. Esse mapeamento permite buscar a solução que mais se adequa à transição de sistemas legados para arquiteturas automatizadas.

O objetivo é conseguir operações mais eficientes em todos os processos da empresa.

Gostou deste artigo e quer saber mais sobre RPA? Assine a newsletter do Grupo Mult e não perca nenhuma novidade!

Share This