BLOG
RECEBA CONTEÚDOS GERADOS POR ESPECIALISTAS ASSINE AGORA

    Metodologia 6RS cloud migration: conheça as estratégias

    Está sem tempo para ler este artigo? Experimente ouvir a narração, basta apertar o play!

    O 6RS cloud migration é um modelo que propõe algumas estratégias que servem para te guiar durante a transição da estrutura local de sua empresa para a nuvem. Ou seja, trata-se de uma metodologia que considera seis formas de realizar a migração, de acordo com seis diferentes situações.

    Então, se você deseja adotar uma cultura organizacional em nuvem na sua empresa ou departamento de TI, mas ainda não sabe por onde começar, você está no blog certo.

    Continue acompanhando o artigo para conhecer as opções do 6RS cloud migration.

    Por que adotar uma estratégia de migração  

    Com certeza você já sabe das vantagens e benefícios do uso de soluções em nuvem.

    De todo modo, é importante destacarmos as principais razões para migrar para a nuvem, atualmente.

    Afinal, são pontos que podem impactar diretamente a sua escolha por uma das estratégias 6RS cloud migration.

    Então, confira a seguir por que levar suas aplicações para a nuvem:

    Agilidade 

    Hoje, os times de desenvolvimento são muito dependentes das equipes de infraestrutura para desenvolverem seu trabalho. Principalmente na obtenção de máquinas, o que pode levar um tempo considerável.

    Por outro lado, migrando para a nuvem, não há mais a necessidade de esperar a liberação dessas máquinas.

    Afinal, um modelo baseado em nuvem permite provisionar máquinas em questão de minutos.

    Escalabilidade 

    Além disso, migrar para a nuvem propicia escalabilidade diante do crescimento da demanda.

    A escalabilidade é um recurso importante nas aplicações atuais, mas a gestão desta funcionalidade não é simples se realizada em uma estrutura on premise, cenário em que os recursos tecnológicos dificilmente conseguem atender necessidade pontuais de demanda.

    Assim, as equipes não terão mais dificuldade na hora de lidar com o aumento repentino na demanda de carga do aplicativo.

    Inovação 

    A computação em nuvem também facilita a inserção de tecnologias inovadoras, como Big Data e outras tendências. Essas ferramentas podem ser testadas sem medo de gastos muito altos, pois, o pagamento é feito conforme o uso.

    O acesso facilitado a novas estruturas tecnológicas disponibilizadas na nuvem com abordagens inovadoras propicia aos times de desenvolvimento a possibilidade de entrega de soluções com maior grau de diferenciação.

    O que avaliar antes de migrar para nuvem 

    Antes de abordarmos os 6RS cloud migration, vale ressaltar que há vários pontos que você precisa verificar ao realizar um processo de migração.

    Um deles é o planejamento. É aí que entra a definição da estratégia a ser utilizada.

    Portanto, nesta fase, a empresa deve fazer um mapeamento da infraestrutura local, depois entender as possibilidades oferecidas por seu provedor de nuvem e considerar a forma que cada aplicativo deve assumir na nuvem pública.

     Resumindo, sua estratégia de migração nada mais é do que a sua visão de como levar seus aplicativos para a nuvem. 

    Cabe salientar também, que uma estratégia de sucesso potencializa o valor da sua infraestrutura em nuvem, ao mesmo tempo em que reduz o tempo de migração, o custo, assim como o risco.

    6RS cloud migration: quais são as 6 formas de migração? 

    A princípio, o método dos 6 RS foi criado pela Amazon, que adaptou o modelo do Gartner que, inicialmente contava com cinco táticas de migração.

    Veja quais são as 6 estratégias propostas pela Amazon para entender qual é a mais adequada para sua empresa.

    1.Rehost  

    Para começar, esta é uma estratégia, na qual os sistemas locais serão levados para a nuvem sem qualquer alteração. Ou seja, hospedada novamente.

    A maioria das migrações por rehost pode ser automatizada com ferramentas como, AWS VM Import / Export.

    Geralmente, é a forma mais empregada por empresas que precisam migrar aplicativos legados de grande escala, de maneira mais rápida.

    Assim, é possível atender a objetivos específicos de negócio sem ter muito trabalho.

    Por outro lado, o ponto negativo é que, sem alterações no aplicativo, a capacidade de aproveitar as vantagens do ambiente nativo da nuvem fica limitada.

    2.Re-plataform  

    A opção de replataforma refere-se à migração das soluções, porém, otimizando alguns componentes para obter as vantagens que a nuvem proporciona.

    Por exemplo, você pode mudar para o serviço de banco de dados relacional, caso não consiga gerenciar as instâncias do banco de dados. Assim, irá economizar tempo.

    Contudo, nesta estratégia não há nenhuma modificação na arquitetura central.

    3.Recompra 

     Outra opção do 6RS cloud migration é mudar de licenças perpétuas e passar a usar softwares como serviço.  

    Isto é, comprar novos produtos e serviços para incrementar mudanças na arquitetura da nuvem.  

    Esta técnica de migração é ideal para empresas que já estão atuando em cloud e querem transportar cargas de trabalho significativas. 

    4.Refatorar  

    Por fim, a última opção é a retenção dos aplicativos locais, sobretudo aqueles que são considerados críticos para os negócios, mas que requerem uma refatoração antes de serem migrados.

    Assim, a retenção pode ser a melhor saída para empresas que ainda não estão preparadas para a migração.

    Por exemplo, aquelas que ainda possuem projetos de desenvolvimento locais ou mesmo sistemas legados que não rodam em ambientes de nuvem.

    Concluindo, esses são os 6RS cloud migration. Cada estratégia possui uma particularidade, sendo recomendada para cenários diferentes de migração.

    Esperamos que ao final deste artigo, você possa identificar qual delas é a mais vantajosa para sua realidade corporativa.

    Mas, se você ainda estiver em dúvida sobre a melhor opção, nossos especialistas te ajudam a fazer a escolha certa.

    Conheça o Grupo Mult

    Multron
    RECEBA CONTEÚDOS GERADOS POR ESPECIALISTAS