BLOG
RECEBA CONTEÚDOS GERADOS POR ESPECIALISTAS ASSINE AGORA

    Aplicando Scrum em projetos fechados

    Devido à forte influência da metodologia ágil nas empresas de desenvolvimento de software do mercado atual, é quase impossível não se deparar com o Scrum como uma importante referência. O framework traz uma visão simples e entendível até mesmo para leigos do processo de desenvolvimento, mas para quem já se aventurou em aplicar na prática, sabe que não é tão simples assim.

    Um grande dificultador tem sido a forma na qual os projetos são contratados, muitas vezes fechando um escopo e orçamento e “engessando” a equipe para mudanças importantes que possam ser percebidas no decorrer do projeto.

    Aí vem a dúvida: se o Scrum se baseia em um modelo evolutivo, no qual aos poucos é possível mudar e adaptar o produto para algo mais aderente ao negócio, como fazer isso em um projeto de orçamento e escopo fechado?

    Scrum
    (Imagem retirada do site https://www.elirodrigues.com/2016/06/08/os-pilares-do-scrum/)

    O framework traz pontos pertinentes para o mundo do desenvolvimento de software e mesmo que em um primeiro momento não seja possível ter um escopo flexível, é possível mudar a cabeça da equipe para um pensamento ágil.
    Listamos abaixo alguns pontos que podem ser trabalhados neste cenário:

    Aplicando o Scrum em escopos de trabalho fechados

    Defina papéis: quando cada membro da equipe entende seu papel naturalmente ficam mais produtivos, evitando-se discussões sobre responsabilidade e tornando a cobrança mutua mais natural e colaborativa.

    No Scrum temos resumidamente:

    • Product Owner: decide quais recursos e funcionalidades serão construídos e qual será a ordem de produção;
    • Scrum Master: Responsável por ajudar a todos os envolvidos a entender e abraçar os valores, princípios e práticas do Scrum;
    • Time Scrum: Determina a melhor maneira de realizar o trabalho para atingir a meta estabelecida pelo Product Owner;

    Teste os ritos do Scrum: Planning, Daily, Retrospectiva, Revisão… No mínimo é possível se organizar melhor. Cada rito do Scrum traz um valor agregado importante:

    • Planning: organização, priorização e planejamento;
    • Daily: checagem da progressão do trabalho;
    • Retrospectiva: adaptação no processo de trabalho;
    • Revisão: adaptação do produto que está sendo construído;

    Quebre seu projeto em Sprint’s: ter entregas menores melhora muito a percepção de qualidade e evolução do projeto, ajuda a equipe a perceber mais rápido erros e acertos no desenvolvimento e se ajustar antecipadamente;

    Dê visibilidade do trabalho: com um software ou papel na parede, não importa, ter de forma visível o trabalho que está sendo feito traz transparência e compromisso para todos, deixa os entraves e atrasos aparentes para que todos possam pensar em como resolver o problema;

    É sempre bom lembrar que não existe formula mágica e o Scrum, não por acaso, faz questão de não se intitular uma metodologia e sim como um framework.

    Toda empresa pode e deve saber tirar o melhor desta ou qualquer outra referência e criar um processo próprio e que melhor atenda suas necessidades. Após começar, temos que saber a hora de mudar e adaptar o processo, uma vez que os ritos trarão para mesa percepções e discussões antes obscuras, já que, naturalmente, a equipe amadurecerá e contribuirá mais.

    Busque novas dinâmicas para as reuniões, incentive a equipe a trazer os problemas de forma transparente (sem punições ou brigas improdutivas). Priorize a colaboração para resolver o que está errado e motive todos para continuar fazendo o que está certo. Podemos perceber então que o escopo fechado não é um impeditivo para utilizarmos métodos ágeis no desenvolvimento de software, e os ganhos na qualidade do produto final, amadurecimento da equipe, produtividade e colaboração são suficientes para justificar uma nova abordagem para sua empresa.

    Gostou da reflexão? Compartilhe os aprendizados com seus amigos e abra espaço para a troca de ideias. Lembre-se: a comunicação integrada é um aspecto essencial.

    Integrar os conceitos de Arquitetura de Microserviços, API’s, SOA e chatbots na busca pela transformação digital da sua empresa é o melhor caminho a seguir. Com quase vinte anos de experiência no ramo, nós do Grupo Mult podemos ajudar você a definir o melhor sistema para a integração de dados do seu negócio. Faça o download do e-Book de forma gratuita!

    Fale com um de nossos especialistas

    Multron
    RECEBA CONTEÚDOS GERADOS POR ESPECIALISTAS